Bloco de Esquerda: "É urgente cuidar do Bairro do Carandá"
Sexta-feira , Julho 3 2020 Periodicidade Diária nº 2501
Principal / Notícias / Bloco de Esquerda: “É urgente cuidar do Bairro do Carandá”

Bloco de Esquerda: “É urgente cuidar do Bairro do Carandá”

O Bloco de Esquerda visitou o Bairro do Carandá a fim de auscultar os moradores que reivindicam uma intervenção naquele território que “também pertence à cidade”.

A candidata do Bloco de Esquerda à Câmara de Braga, Paula Nogueira, acompanhada do candidato à Assembleia Municipal, António Lima, e de alguns dos elementos da lista à União de Freguesias de S. Lázaro, confirmaram o “sentimento de revolta e de abandono que os assola há muitos anos”, apesar das tentativas de algumas pessoas que se dirigiram à Junta de freguesia, Câmara, Polícia e EDP, por causa da deficiente iluminação.

“O Carandá é um bairro com uma localização privilegiada, entre a Avenida da Liberdade e a Avenida João XXI, ao lado de importantes equipamentos como a Escola André Soares, Centro de Saúde do Carandá e a Escola de Música, mas que se encontra votado ao mais completo abandono e onde o desleixo e a degradação do espaço público são bem evidentes”, refere a candidata.

“No parque infantil do bairro, o único espaço que foi objeto de intervenção recente, os moradores queixam-se da visível falta de limpeza e higiene pública, da degradação e falta de manutenção dos espaços verdes, da falta de iluminação, insegurança, vandalismo, sobretudo na zona mais interior do bairro, e da falta de espaços condignos para as crianças. Existe um parque infantil e um campo de jogos que infelizmente estão degradados e não tem as condições mínimas de segurança. O campo de jogos é apenas um espaço ladrilhado, não há sombras, bancos nem água”, ressalva ainda.

Paula Nogueira, depois de ter ouvido as “queixas” dos moradores, comprometeu-se a dar visibilidade e voz a este problema, uma vez que “no Carandá é urgente uma intervenção integrada, em que a reabilitação do espaço público seja acompanhada por um trabalho de mediação e de reforço dos laços de vizinhança e de tolerância que ajude a resolver alguns conflitos”.