Sexta-feira , Novembro 10 2017 Periodicidade Diária nº 1535
Principal / Desporto / Os desportos em ascensão em Portugal

Os desportos em ascensão em Portugal

Em 2018, Braga será a Capital do Desporto na Europa e muito dessa conquista vem da atenção que a cidade do Minho oferece a várias modalidades. E, além dos desportos que atraem as massas, como futebol, basquetebol e ténis, há outros que estão a crescer na Europa e que logo podem surgir entre os principais em Braga. É bom ficar de olho.

Um dos mais emergentes no mundo é, sem dúvida, o padel. Um desporto considerado novo, existe há menos de 50 anos e já está muito popular em alguns países. O padel já é o segundo desporto mais praticado em Espanha e está a ganhar atenção em Portugal.

Um desporto jogado com a raqueta, o padel é parecido com o ténis e o squash, mas a diferença é que esse desporto é praticado entre quatro paredes e com regras únicas.

Com o crescimento do padel, há muitos atletas que estão a sair do ténis para as quadras do padel. “É quase uma transição natural para a reforma desportiva. Vêm de alta competição, passam para média competição e depois ficam no sofá a ver os jogos, até porque são poucas as pessoas que jogam ténis e que, quando experimentam o padel, não gostam”, afirma Diogo Rocha, um dos principais jogadores portugueses do padel.

Outro que é uma variante de um desporto famoso é o touch rugby. Como o nome sugere, esse desporto vem do rugby clássico, porém, é muito mais democrático. “Dada a simplicidade das suas regras, a possibilidade de ser jogado em qualquer tipo de piso, por homens e mulheres de qualquer idade”, diz a Federação Portuguesa de Rugby, que também enaltece o crescimento da modalidade.

Com a força do rugby a crescer mundialmente, o desporto continua nas Olimpíadas e já está confirmado para os Jogos de 2020, em Tóquio.

O póquer ainda não está nas Olimpíadas como o rugby, mas a ascensão é evidente. Esse desporto está a crescer não só em Portugal, mas em toda a Europa. Atualmente, há profissionais que vivem só desse desporto e que conseguem fazer uma carreira sólida, como é o exemplo de Katerina Malasidou, uma das jogadoras mais famosas do mundo online.

Portugal está a virar um país importante no calendário desportivo dessa modalidade. Eventos como Solverde Poker Season, Poker, PokerStars MegaStack Iberia e o aumento dos jogadores online são indicativos da importância portuguesa nesse desporto. Em Braga, no entanto, ainda não há eventos de grande notoriedade.

Um que é praticado pelos computadores e que está em rápida ascensão no país são os desportos eletrónicos. Denominados de e-sports, Portugal já tem equipas de futebol, como Paços de Ferreira e Sporting Lisboa, que estão a investir grandes quantias em atletas virtuais.

Assim como no póquer, o atleta virtual está a ganhar espaço no cenário desportivo. Portugueses como Christopher Fernandes, de 24 anos, e que vive a jogar Counter Strike não é mais algo raro neste país ou em qualquer outro da Europa. “São precisas horas de treino para evoluir. Envolve muita dedicação, pensamento estratégico e precisão nas jogadas”, afirma Christopher, que precisa estar focado nos games para ter a chance de vencer contra outros profissionais.

Países como Estados Unidos e Coréia do Sul são lugares em que os desportos eletrónicos estão muito evoluídos e há verdadeiros ídolos por lá. A expectativa é que, em 2020, os e-sports movimentem cerca de US$ 1 bilhão no mundo todo.

A globalização e a tecnologia são fatores que ajudam muito a popularização de desportos que até pouco tempo eram pouco conhecidos em Portugal. Braga, como nova capital desportiva, precisa abraçar modalidades que vão além das tradicionais e 2018 é uma grande oportunidade para isso.

Acerca Braga TV