Mais recentes:  Domingo, 31 de agosto 2014, Periodicidade Diária nº 368

Categorias:

  • Autárquicas

    Ricardo Rio é o novo Presidente da Câmara Municipal de Braga

    Após 37 anos de governação socialista em Braga, Ricardo Rio foi eleito Presidente da Câmara Municipal de Braga e promete, assim, "um novo ciclo".

    Os apoiantes de Ricardo Rio encheram por completo a sala de reuniões no Hotel Mercure onde o novo Presidente da Câmara discursou perante todos os sociais-democratas presentes referindo "Começa um tempo novo. Um tempo de esperança para os bracarenses que traduziram, sem medo, a confiança que têm neste projeto. Começa hoje um ciclo do qual os bracarenses se vão poder orgulhar".

    Rio quis lembrar a todos a importância desta vitória “histórica” em Braga para a cidade e para o seu partido "Assumo agora a terceira câmara do país e a maior câmara nacional que o PSD tem".

    Antes de terminar dirigiu cumprimentos aos restantes candidatos saudando por fim o anterior presidente do partido socialista Mesquita Machado.

    Quando terminou o seu discurso de vitória, caminharam todos para a Praça do Município para receber todos os candidatos vencedores das freguesias de Braga.

    Ricardo Rio somou 46,71% dos votos enquanto que Vítor Sousa do Partido Socialista obteve 32,83%, Carlos Almeida do CDU alcançou 8,76%, Inês Barbosa que concorreu como Independente contou com 5,32% e, por fim, Luís Lima do PCTP/MRPP amealhou 1,36%. Registaram-se 1,92% de votos brancos e 1,09% de votos nulos, sendo que a abstenção situou-se nos 40,11%.

  • Autárquicas

    Votos para as Assembleias de Freguesias

    Adaúfe

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. – 1124
    PS - 812
    PCP-PEV - 158
    Votos em Branco- 56
    Votos Nulos - 40

    Espinho

    PS - 386
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 288
    PCP-PEV - 46
    Votos em Branco- 14
    Votos Nulos - 12

    Esporões

    PS - 754 votos
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 263
    Votos em Branco - 28
    Votos Nulos - 25
    PCP-PEV - 22

    Figueiredo

    PS - 518
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 192
    PCP-PEV - 33
    Votos em Branco- 18
    Votos Nulos - 15

    Gualtar

    PS - 1348
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 1001
    V - 195
    PCP-PEV - 168
    Votos em Branco- 104
    Votos Nulos - 52

    Lamas

    PS - 332
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 130
    PCP-PEV - 17
    Votos em Branco- 10
    Votos Nulos - 2

    Mire de Tibães

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 706
    PS - 611
    PCP-PEV - 151
    Votos em Branco- 31
    Votos Nulos - 26

    Padim da Graça

    PS - 600
    III - 358
    PCP-PEV - 102
    Votos em Branco- 23
    Votos Nulos - 11

    Palmeira

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 1144
    PS - 1040
    PCP-PEV - 271
    V - 222
    Votos em Branco - 94
    Votos Nulos - 50

    Pedralva

    PS - 371
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 263
    PCP-PEV - 23
    Votos em Branco- 17
    Votos Nulos - 7

    Ruílhe

    PS - 337
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 266
    PCP-PEV - 91
    Votos em Branco- 22
    Votos Nulos - 18

    S. Vicente

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 2462
    PS - 1938
    PCP-PEV - 648
    V - 576
    Votos em Branco- 235
    Votos Nulos - 144

    São Vítor

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 5335
    PS - 3825
    PCP-PEV - 1182
    V - 857
    Votos em Branco- 413
    Votos Nulos - 248

    Sequeira

    PS - 720
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 328
    PCP-PEV - 70
    Votos Nulos - 31
    Votos em Branco- 30

    Sobreposta

    IV - 529
    PCP-PEV - 122
    Votos em Branco - 49
    Votos Nulos - 18

    Tadim

    PS - 383
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 217
    PCP-PEV - 49
    Votos em Branco- 26
    Votos Nulos - 17

    Tebosa

    PS - 400
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 230
    PCP-PEV - 55
    Votos Nulos - 10
    Votos em Branco - 9

    União de Freguesia de Arentim e Cunha

    I - 555
    PS - 489
    PCP-PEV - 31
    Votos em Branco- 29
    Votos Nulos - 23

    União das Freguesias Braga (Maximinos, Sé e Cividade)

    PS - 2399
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 2253
    VI - 1309
    PCP-PEV - 1040
    Votos em Branco- 299
    Votos Nulos - 204

    União das Freguesias Braga (S. José de S. Lázaro e S. João do Souto)

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 3029
    PS - 2339
    PCP-PEV - 803
    V - 524
    Votos em Branco - 255
    Votos Nulos - 130

    União das Freguesias de Cabreiros e Passos S.Julião

    PS - 926
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 462
    PCP-PEV - 37
    Votos Nulos - 28
    Votos em Branco- 27

    União das Freguesias de Celeirós, Aveleda e Vimieiro

    PS - 2248
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 1050
    PCP-PEV - 327
    Votos em Branco- 134
    Votos Nulos - 93


    União das Freguesias de Crespos e Pousada

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 649
    PS - 318
    Votos Nulos - 14
    Votos em Branco - 12
    PCP-PEV - 10

    União das Freguesias de Escudeiros, Penso Santo Estevão e Penso S. Vicente

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 645
    PS - 554
    PCP-PEV - 20
    Votos em Branco - 16
    Votos Nulos – 11

    União das Freguesias de Este S. Pedro e Este S. Mamede

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 1238
    PS - 936
    PCP-PEV - 133
    Votos em Branco- 76
    Votos Nulos - 54

    União das Freguesias de Ferreiros e Gondizalves

    PS - 2551
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 1487
    PCP-PEV - 430
    Votos em Branco- 191
    Votos Nulos - 107

    União das Freguesias de Guisande e Oliveira S. Pedro

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 432
    PS - 269
    PCP-PEV - 15
    Votos em Branco- 12
    Votos Nulos - 12

    União das Freguesias de Lomar e Arcos

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 1472
    PS - 1376
    PCP-PEV - 362
    Votos em Branco- 124
    Votos Nulos - 73

    União das Freguesias de Merelim S. Paio, Panoias e Parada de Tibães

    PCS-PEV - 1104
    PS - 1011
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 513
    Votos Nulos - 77
    Votos em Branco- 69

    União das Freguesias de Merelim S. Pedro e Frossos

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 1284
    PS - 885
    PCP-PEV - 168
    Votos em Branco- 74
    Votos Nulos - 39

    União das Freguesias de Morreira e Tirandeiras

    PS - 555
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 349
    Votos em Branco - 31
    PCP-PEV - 24
    Votos Nulos - 20

    União das Freguesias de Nogueira, Fraião e Lamaçães

    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 2945
    PS - 2572
    PCP-PEV - 598
    V - 586
    Votos em Branco- 411
    Votos Nulos - 177

    União das Freguesias de Nogueiró e Tenões

    II - 1594
    PCP-PEV - 591
    Votos em Branco- 305
    Votos Nulos - 91

    União das Freguesias de Real, Dume e Semelhe

    PS - 2876
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 1682
    PCP-PEV - 837
    Votos em Branco- 261
    Votos Nulos – 154

    União das Freguesias de Santa Lucrécia de Algeriz e Navarra

    PS - 341
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 266
    PCP-PEV - 39
    Votos em Branco- 16
    Votos Nulos – 10

    União das Freguesias de Vilaça e Fradelos

    PS - 550
    PPD/PSD.CDS-PP.PPM. - 530
    Votos Nulos - 28
    Votos em Branco- 21
    PCP-PEV - 18
  • Autárquicas

    Comunicado final de campanha da Cidadania em Movimento

    Comunicado:

    Chega ao fim a campanha eleitoral para as autárquicas. Nesta campanha vimos muito do que é já conhecido e repetido: promessas sem conta; brindes, bolas e berloques; cantores pimba para angariar apaniguados; políticos de todos os velhos ciclos em mutação de reciclagem; o futuro aí, ao alcance do seu voto… Mas também vimos algo de novo: uma candidatura que decidiu dar a voz aos cidadãos e, livremente, pensar o município de Braga  liberto do poder da especulação imobiliária e do poder absoluto das maiorias absolutas que corrompem absolutamente…

    No  momento da votação, os bracarenses vão confrontar-se com a opção entre o velho e o novo: de um lado, velhos protagonistas, ideias e propostas; do outro lado, candidatos e candidatas que emergem das associações cívicas, culturais, patrimoniais, ecológicas e profissionais, e as ideias coletivamente produzidos de um programa de governança da cidade assente na participação, no desenvolvimento e na solidariedade. Estes são os candidatos e as candidatas da Cidadania em Movimento e este é o seu programa.

    Algo de diferente estas eleições já produziram: a ideia muito forte de que a bipolarização limita a força criativa da sociedade bracarense, que o confronto entre os partidos do arco do poder não coloca verdadeiramente todas as opções em jogo nem exprime as alternativas que valem a pena. A bipolarização é, desde já, a grande derrotada destas eleições. 

    O município de Braga precisa de se preparar para os novos tempos, que são de crise, mas que queremos que sejam de inclusão, de bem-estar, de recuperação do território, de equilíbrio ambiental e, sobretudo, de transparência. Braga precisa de reabilitar o seu bom nome das suspeitas, das negociatas e do enriquecimento escandaloso de alguns dos seus governantes. O bom nome é algo de essencial, porque nele se reconhece uma identidade de cara limpa e orgulho em si própria. Temos orgulho de ser bracarenses. Vamos lutar por esse orgulho, contra quem o amesquinhou. 

    As propostas que fizemos são claras: transparência na administração; redesenho das avenidas e do território; transporte ecológico na zona pedonável; mobilidade sustentada; a cultura devolvida aos agentes culturais; recuperação, divulgação e promoção do património; apoio à economia social, adoção de medidas de promoção do emprego; defesa da coesão social; pagamento da água, como bem essencial, a quem não a pode pagar; construção de conselhos municipais, verdadeiramente influentes, de crianças, de idosos e da educação; abertura cosmopolita ao mundo e acolhimento dos imigrantes; um programa eficaz de promoção do turismo; uma cidade promotora da educação; erradicação do analfabetismo; redução da pegada ecológica, construção do parque das Sete Fontes; fim à expansão imobiliária… Tantas medidas necessárias. Mas medidas que sabemos que são possíveis e necessárias. Medidas cujo custo é compatível com o orçamento do município, desde que não se enterrem 8 milhões de euros num projeto de piscina para implodir, nem os múltiplos desses 8 milhões que se esvaíram no dinheiro da corrupção, durante décadas. 

     Braga precisa de ideias e de protagonistas novos. Braga precisa de cidadania. Braga precisa de uma mudança feita por todos nós. Nestas eleições Braga precisa que o voto seja útil. Pelo presente e pelo futuro. O voto útil é o que pode impedir as maiorias absolutas, o que permite abrir o jogo político, o que favorece uma cidadania ativa, independente e comprometida com o bem comum. O voto da mudança. O voto na Cidadania em Movimento.

  • Autárquicas

    Comício dos “Juntos Por Braga” juntou milhares de pessoas em Ferreiros

    Milhares de pessoas estiveram em Ferreiros para assistir ao comício realizado pelos “Juntos Por Braga” e que contou com a participação do músico André Sardet. Foi em ambiente de enorme festa e alegria contagiante que os presentes receberam Ricardo Rio, mostrando-se plenamente convictos de que, no dia 29 de Setembro, a vitória será dos “Juntos Por Braga”.

    Segundo Ricardo Rio, este foi um dos últimos grandes momentos de uma campanha que decorreu de forma “absolutamente extraordinária”. “Apresentamos as nossas propostas e equipas e escolhemos os melhores, os mais capazes e os mais disponíveis, razões pelas quais estamos muito confiantes que conseguimos conquistar a confiança dos Bracarenses e vamos alcançar a vitória”, salientou, garantindo que, com os ´Juntos Por Braga, o concelho vai ficar muito bem servido para o futuro.

    O candidato à Câmara Municipal aproveitou a oportunidade para agradecer o entusiasmo, apoio e carinho que todos os dias, por todas as freguesias por onde tem passado, tem recebido da parte dos inúmeros Bracarenses com que contacta. “É com base nesse fantástico apoio que acreditamos numa grande vitória no dia 29 de Setembro. Mas é preciso ter em conta que para Braga mude, é fundamental a vossa participação, o vosso apoio e o vosso voto”, reforçou.

    Para Rio, é essencial que todos continuem no mesmo caminho, sublinhando que é muito importante que, num dia tão decisivo para o futuro de Braga, ninguém pode ficar em casa. “É preciso que todos sem exceção estejam presentes para que Braga possa mudar e todos possamos ganhar. E só uma vitória dos ´Juntos por Braga´ garante a mudança que o concelho há muito deseja”, afirmou.

    A finalizar, Rio evidenciou que, depois das eleições, é necessário trabalhar muito e em prol de todos os Bracarenses. “Há vários problemas para resolver, muitos cidadãos que precisam de oportunidades de emprego, muito apoio que deve ser dado aos que mais precisam e muitas melhorias a efetuar ao nível do ambiente, cultura ou regeneração urbana. No próximo ciclo de gestão autárquica é exatamente isso que vai suceder, porque Braga vai ter os melhores”, garantiu, declarando que é preciso virar a página em relação ao que de mal foi feito no passado e encarar o futuro com renovada confiança e otimismo.

  • Autárquicas

    Carlos Almeida em reunião com a Direção da Associação Portuguesa de Deficientes de Braga

    Carlos Almeida, cabeça de lista à Câmara Municipal de Braga, liderou uma comitiva da candidatura da CDU que reuniu com a Direção da Associação Portuguesa de Deficientes, delegação distrital de Braga. Na reunião, os dirigentes da APD alertaram para as enormes dificuldades com que as pessoas com deficiência que habitam ou se deslocam a Braga se defrontam.

    Da variedade de dificuldades ressaltaram as de mobilidade e acessibilidades, sendo frequentes as barreiras arquitetónicas que impedem estas pessoas de terem autonomia e fruírem a cidade. Foram ainda elencados problemas no uso dos transportes urbanos para os utentes que utilizam cadeira de rodas.

    Acresce ao rol dos problemas de mobilidade e acessibilidades os que decorrem da introdução dos parcómetros na cidade. Desde a colocação deste sistema de pagamento da via pública, os locais de estacionamento não pago para deficientes foram reduzidos significativamente, pelo que acarreta mais custos para pessoas que têm, na sua esmagadora maioria, parcos recursos económicos.

    A Direção da APD chamou a ainda a atenção para as crescentes dificuldades sociais e económicas com que as pessoas com deficiência do concelho de Braga se confrontam, mormente dado o aumento das rendas sociais.

    Carlos Almeida salientou a necessidade, no que às questões da mobilidade e das acessibilidades diz respeito, de ser implementado “um plano de remoção das barreiras arquitetónicas que permita um acesso facilitado a todos”, assim como de “revitalizar a Rede Social do município e, particularmente, o Fórum Municipal da Deficiência, ao mesmo tempo que urge criar um regulamento da atribuição de subsídios às instituições, de forma a tornar mais claro e transparente o apoio dado ao movimento associativo do concelho”.

    Carlos Almeida reiterou também que a presença da CDU na Câmara Municipal fará toda a diferença, pelo seu trabalho, honestidade e competência e pelo compromisso com um município feito com e para as populações, inclusivo e pensado para todos.

  • Autárquicas

    Cidadania em Movimento quer dinamizar centro comerciais 
de primeira geração

     “Só nos cinco centros comerciais do centro da cidade há 224 lojas fechadas e a Câmara de Braga não pode ficar indiferente a este grave problema que também contribuiu para a desertificação e desqualificação da zona central da cidade”, afirmou Carlos Silva, primeiro candidato à Assembleia Municipal pela Cidadania em Movimento.

     

     Os candidatos da CEM percorreram ontem os cinco centros comerciais de primeira geração, situados no centro da cidade, Rechicho, Santa Bárbara, Gold Center, Santa Cruz e Lafayette, para lhes apresentar as suas propostas, com vista à dinamização daqueles espaços.

     

     A Cidadania em Movimento defende que o Município assuma a liderança da dinamização destes centros comerciais, juntamente com os proprietários, de forma a transformá-los em espaços de divulgação e comercialização de produtos regionais e de divulgação do património, e de promoção de emprego.

     

     Oficinas, atelieres de prestação de serviços são outras propostas apresentadas pela Candidatura independente, que considera que a dinamização destes espaços deve ser articulada com o apoio ao auto-emprego  e à concessão de micro-crédito, o que implica a criação por parte da autarquia, de um gabinete de apoio à gestão de iniciativas no âmbito da economia social.

     

     A apresentação de candidaturas a fundos comunitários e a isenção de algumas taxas por parte da autarquia foram outras ideias apresentadas, quer à imprensa, quer aos comerciantes daquelas centros comerciais, que acolheram positivamente as propostas da CEM, que se mostraram desalentados com o desinteresse da Câmara relativamente à sua situação e criticaram fortemente a instalação de parcómetros, que vieram agravar as quebras dos seus negócios.

     
  • Autárquicas

    Ricardo Rio almoçou com elementos da Universidade do Minho

    Ricardo Rio, líder dos “Juntos Por Braga”, almoçou com docentes, investigadores e representantes de núcleos de estudantes e núcleos culturais da Universidade do Minho (UM). Esta iniciativa foi uma forma de o candidato à Câmara Municipal reafirmar que pretende trabalhar de forma bastante intensa o estreitamento de relações com a UM, que considera ser a instituição que mais tem contribuído para o desenvolvimento e crescimento do concelho.

    Rio assegurou que uma das linhas de atuação que tem previsto para os primeiros cem dias de mandato passa pela criação de um já há muito anunciado pelouro de ligação à Universidade, assim como pela promoção de reuniões com vista à definição dos mecanismos de articulação contínua com as instituições de Ensino Superior do concelho. “É fundamental que Braga saiba tirar partido do conhecimento produzido nas Universidades em áreas tão diversas como a cultura, o apoio à atividade económica ou os incentivos ao empreendedorismo”, sublinhou, salientando que atualmente se assiste a um “divórcio” entre autarquia e UM que prejudica ambas as partes e, acima de tudo, o concelho: “Não faz qualquer sentido que estas duas instituições estejam de costas voltadas. É nossa intenção inverter esta política assim que assumirmos a gestão do executivo municipal”.

    De acordo com o líder dos “Juntos Por Braga”, sempre que assim se justifique, é essencial que as opções de gestão se sustentem em validações técnicas de especialistas das Universidades. “É preciso aproveitar o que de melhor temos em Braga, que reúne nas suas universidades especialistas em diversas áreas que podem ser de extrema utilidade. Ao contrário do que tem sido feito pela maioria socialista, vamos consultar as Universidades antes de tomarmos determinadas opções, de forma a sustentarmos as decisões e evitarmos que aconteçam erros”, disse, manifestando a sua certeza de que se esta fosse a prática corrente da autarquia, poderiam ter sido evitadas muitas opções que se revelaram “danosas e até ruinosas”.

    Durante o almoço, os muitos elementos da UM que estiverem presentes nesta iniciativa garantiram a sua total disponibilidade para elaborar projetos conjuntos com a Câmara Municipal. “É com muito agrado que registo a enorme recetividade para desenvolvermos esta relação, que considero que deve ser a melhor e a mais cúmplice possível, até devido à influência que a UM possui na definição de soluções para o futuro desta região e comunidade”, adiantou Rio.

    Por fim, Ricardo Rio destacou ainda que pretende que os estudantes da UM estejam mais integrados na vida da cidade. “Existe uma barreira, física e psicológica, entre a cidade e a UM, que é a Avenida Júlio Fragata, que ´corta´ a Rua Nova de Santa Cruz e levou ao isolamento da zona universitária. É fundamental uma intervenção nesta zona para voltar a unir estas duas partes, num trabalho que deve ser complementado com a criação de uma dinâmica e animação no centro que cative os estudantes e os faça ter motivos para lá se deslocarem”, destacou.

  • Autárquicas

    CDU visitou bombeiros sapadores

    A CDU contactou hoje com os Bombeiros Sapadores de Braga, para lhes dar a conhecer o seu projeto e as suas propostas para o município, nomeadamente as relativas à proteção civil.

    Carlos Almeida aproveitou, no encontro, para lembrar a promessa antiga de um novo quartel para os Bombeiros Sapadores, ainda por e que, apesar de constar do Plano de Orçamento da Câmara Municipal de Braga para o último mandato, permanece por concretizar.

    O candidato da CDU à Câmara alertou ainda para a importância de se combater as injustiças salariais verificadas no sector, e defendeu a necessidade de respeitar os direitos destes trabalhadores, nomeadamente repondo o pagamento do serviço efetuado em dias feriados.

    Reconhecendo melhorias em alguns aspectos, como a aquisição de viaturas e o reforço de pessoal, Carlos Almeida não deixou de as relacionar com a intervenção e persistência da CDU e com as exigências levantadas ao longo dos tempos pela CDU.

    Carlos Almeida lembrou por isso o trabalho desenvolvido pela CDU na defesa dos Bombeiros, fruto dos vários encontros, reuniões e visitas ao quartel, de que resultaram várias propostas e recomendações em sede de Assembleia Municipal e apelou aos bombeiros para que reconheçam, através do voto, o apoio que sempre sentiram por parte da CDU.

  • Autárquicas

    Angelina Rodrigues foi anfitriã de uma “Festa Popular”

    Angelina Rodrigues, candidata da coligação “Juntos por Braga” à União das Freguesias de Celeirós, Aveleda e Vimieiro foi anfitriã de uma “Festa Popular” na freguesia de Vimieiro, que contou também com a presença de Ricardo Rio, candidato à Presidência da Câmara Municipal de Braga. Para este evento foram convidadas todas as pessoas da Freguesia de Celeirós, Aveleda e Vimieiro, com o objetivo de proporcionar um momento de convívio e partilha.

    Na ocasião, Ricardo Rio foi recebido em ambiente de enorme festa e apelou a que todos sejam agentes de mudança e que, nestes últimos dias de campanha, sejam ainda capazes de mobilizar tudo e todos para o ato eleitoral a realizar no próximo dia 29 de setembro, na certeza de que temos um papel fundamental nesta viragem que se pretende para o nosso concelho e para as nossas freguesias. “Este é um tempo novo para Braga, e nós somos o melhor para Braga. É preciso trabalhar arduamente nesta reta final para que a mudança realmente aconteça e se possa devolver Braga aos Bracarenses”, sublinhou.

    Por seu turno, Angelina Rodrigues salientou que um dos pontos do seu programa é a concretização de um calendário cultural diverso e que vá ao encontro das preferências da população, pelo que estes eventos serão para continuar com regularidade e não apenas em tempo de campanha eleitoral. “Queremos que estas três freguesias tenham uma dinâmica cultural bem maior, e acreditamos que a Junta de Freguesia, em articulação com várias coletividades, pode efetuar um excelente trabalho nesse sentido”, adiantou.

  • Autárquicas

    Sande Lemos visita património de Braga

    “Negar o conhecimento aos cidadãos é uma forma de exercer o poder discricionário” afirmou o arqueólogo Francisco Sande Lemos, no final de uma visita centrada no Legado Histórico de Braga e Cidadania, que contou com a participação de cerca de 30 pessoas, entre elas o cabeça de lista à Assembleia Municipal, Carlos Silva, entre outros candidatos.

    O conhecido arqueólogo, que aceitou o convite da Cidadania em Movimento para guiar os participantes pelos lugares da envolvente do antigo Forum da urbe romana (Largo Paulo Osório), deu a conhecer recursos arqueológicos visíveis e escondidos ou conservados sob os largos, ruas e casas de parte do Centro Histórico. Mas chamou a atenção também para a destruição de vestígios importantes na sequência de operações de especulação imobiliária.

    A falta de sinalética e de informação nos diversos locais foi uma das tónicas da visita, com Sande Lemos a defender que esse trabalho pode ser feito sem um investimento avultado. “Com poucos recursos é possível explicar-se a cidade, pois é importante as pessoas saberem o que está por baixo, o que está escondido, ou o que está visível, é essa a perspetiva do parque arqueológico”, referiu o arqueólogo.

    Durante o passeio os participantes constaram o estado de abandono e a falta de conservação e limpeza em que se encontra a zona das ruínas das Termas e do Anfiteatro e foi recordada a promessa, uma vez mais não cumprida, por parte do executivo socialista, de musealizar o Teatro e a Ínsua das Carvalheiras.

    Já no auditório da Junta da Sé, as imagens constituíram o ponto de partida para apelar a uma tomada de consciência sobre as metodologias usadas em arqueologia. Foi ainda salientada a importância da informação sobre os projetos que afetam os monumentos e vestígios materiais do passado, de modo a envolver a comunidade nos processos relativos ao património existente no espaço público, emitindo parecer sobre  as estratégias científicas de valorização e aproveitamento turístico do património milenar da cidade. Património que devia ter sido já assumido como essencial para a revitalização do Centro Histórico e para o desenvolvimento económico do concelho.

    No debate, para além da questão da sinalética, foi também reafirmada a necessidade de se efectivar à criação do Parque das Sete Fontes, e de se proceder à conservação e divulgação das ruínas de Santa Marta das Cortiças.

    A integração de Braga na rede europeia de parques arqueológicos (Parque Cultural Europeu); a criação de Rotas Turísticas Temáticas, que aportem ao visitante o valor do património e vivências que lhe transmitam as especificidades da cidade, bem como a valorização e promoção turísticas dos recursos patrimoniais herdados do passado – Bracara Augusta, Barroco – são algumas das propostas da Cidadania em Movimento reafirmadas nesta iniciativa.

  • Autárquicas

    Arruada CDU em S. Victor

    A CDU promoveu uma ação de contacto com a população de São Victor, onde uma comitiva liderada pelo cabeça de lista à junta de freguesia, António Esperança, e acompanhada por Carlos Almeida e Carla Cruz, candidatos à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal, respectivamente, percorreu as ruas da maior freguesia de Braga.

    Foram várias as mensagens de apoio ouvidas durante aquela arruada, que partiu do Largo Senhora-a-Branca e terminou no Largo da Soutinha, passando pelas Goladas e por Santa Tecla. A pretexto desta passagem, os candidatos da CDU lembraram a sua proposta de lutar pela manutenção do carácter social das rendas, cujo brutal aumento tornou incomportável para muitas famílias a sua permanência nos bairros de habitação social e garantir apoio jurídico às famílias vítimas de aumentos e despejos, potenciados pela atual Lei do Arrendamento.

    Ouviram-se, também, preocupações com o estacionamento e acesso ao Hospital. A esta questão, Manuel Esperança respondeu que as propostas de estacionamento gratuito e o aumento da frequência e alargamento dos horários dos TUB são também questões pelas quais a CDU se propõem a lutar.

    Falou-se ainda dos equipamentos desportivos, concentrados no Complexo Desportivo na Rodovia e em falta na restante freguesia, bem como os parques infantis, raros. “Faltam espaços em que as pessoas possam encontra-se, usufruir de espaços verdes e de lazer. Muitas das praças podem ser requalificadas, ter parques infantis, sítios onde todos se possam encontrar e ter momentos de contacto e partilha”, disse Carlos Almeida.

    A recepção a António Esperança e a Carlos Almeida foi expressiva e calorosa durante todo o trajeto, embora especial no clube de Santa Tecla, onde os candidatos e a sua comitiva aproveitaram para se abrigar da chuva que ameaçou arrefecer a arruada. Mas, resistindo-lhe, continuou com grande força e esperança no reforço da CDU.

    “O ambiente que temos sentido em torno da candidatura da CDU é muito positivo, traduz muita força e muita confiança, é a expressão mais clara de que a CDU faz falta na Câmara Municipal de Braga e de que o nosso objetivo de lhe devolver um eleito é cada vez mais possível”, frisou Carlos Almeida.

  • Autárquicas

    Carlos Oliveira, ex-Secretário de Estado, apoia Ricardo Rio

    Carlos Oliveira, empreendedor e antigo Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, manifestou o seu apoio à candidatura de Ricardo Rio à Presidência da Câmara Municipal de Braga.

    Segundo o ex-Secretário de Estado, Braga necessita de um novo ciclo que traga uma lufada de ar fresco, novas ideias e uma visão de futuro. Como cidadão independente e empresário, Carlos Oliveira vê em Ricardo Rio e na sua equipa uma oportunidade de mudança em prol de um concelho que poste no emprego, na economia e inovação, na cultura e na coesão social.

Páginas:
... 16  >