Hospital de Braga simula ataque terrorista
Sexta-feira , Agosto 23 2019 Periodicidade Diária nº 2186
Principal / Notícias / Hospital de Braga simula ataque terrorista

Hospital de Braga simula ataque terrorista

O Hospital de Braga realizou, na noite desta quinta-feira, um simulacro com o objetivo de testar as Medidas de Autoproteção e o Plano de Emergência do Heliporto. A simulação contou com o envolvimento dos Bombeiros Sapadores de Braga, Proteção Civil do Distrito e Polícia de Segurança Pública (PSP), para que o exercício contemple todas as vertentes de um cenário real.

Cenário criado

Pelas 19:30, um indivíduo transtornado entrou no Serviço de Radioterapia e sequestrou dois profissionais de saúde, ameaçando-os com arma de fogo.

Perante a ocorrência, a Equipa de Segurança do Hospital de Braga contactou o 112, informando do cenário encontrado. Foi ativada a PSP que, após chegar ao local, avaliou as condições e recorreu a um negociador, que deu início às diligências necessárias no sentido de perceber as motivações do sequestrador e de que forma podia demovê-lo. Durante o processo de negociações o sequestrador pediu um helicóptero para a fuga, condição acedida pelas forças de segurança.

Aquando da aterragem do helicóptero no heliporto do Hospital de Braga, a aeronave despenha-se e incendeia-se. A equipa dos Bombeiros Sapadores de Braga, responsável pelo acompanhamento da aterragem do helicóptero e presente no local, iniciou de imediato o combate ao incêndio. O sequestro terminou pelas 22:00, 2:30 após o seu início, com a rendição do sequestrador, sem que houvesse qualquer vítima a registar.

No final do exercício Sílvia Oliveira, gestora do Risco do Hospital de Braga e responsável pelo simulacro, fez um balanço positivo e destacou a “rapidez dos profissionais da área afetada a solicitar ajuda e a colocar os doentes em segurança”. Afirmou, ainda, que “os objetivos definidos para o exercício foram alcançados e foi possível colocar em prática todos os procedimentos definidos para a resolução de emergência e evacuação de pessoas”.

Em relação à articulação com as entidades externas, a responsável pela área de Gestão do Risco realçou a importância destes exercícios para que estes profissionais conheçam as estruturas e procedimentos do Hospital de Braga.

A diretora do Heliporto do Hospital de Braga, Raquel Lusquiños, referiu que a “resposta dos meios externos foi eficaz e todos os procedimentos desenhados no Plano de Emergência foram concretizados”. Acrescenta ainda que, “este exercício foi supervisionado pela Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) assegurando assim que o Heliporto garante as condições de segurança necessárias para funcionar”.

No simulacro estiveram envolvidos 4 operacionais e 1 viatura dos Bombeiros Sapadores de Braga, 18 efetivos da PSP e 30 profissionais de saúde do Hospital de Braga.

Além de ser uma exigência legal e de fazer parte do processo de acreditação, a realização de simulacros visa verificar a eficiência dos processos de emergência em situação de crise ou de catástrofe e testar a resposta dos profissionais e das estruturas de segurança.

Este simulacro foi encarado por todas as entidades envolvidas como um momento de formação e uma oportunidade de verificação dos processos e circuitos idealizados.

Acerca Braga TV