CDU juntou agentes culturais para discutir Braga Capital Europeia da Cultura
Domingo , Agosto 18 2019 Periodicidade Diária nº 2181
Principal / Notícias / CDU juntou agentes culturais para discutir Braga Capital Europeia da Cultura

CDU juntou agentes culturais para discutir Braga Capital Europeia da Cultura

A candidatura da CDU organizou, na passada sexta-feira, um debate sobre a cultura em Braga. A partir da ideia da possível candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura em 2027, os candidatos já anunciados à Câmara Municipal e à Assembleia Municipal de Braga, Carlos Almeida e Carla Cruz, e o mandatário da CDU em Braga, Adolfo Luxúria Canibal, moderaram o encontro na sala de exposições da Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva.

Depois de anunciada a intenção, pelo presidente da Câmara, de Braga se candidatar a Capital Europeia da Cultura em 2027, a CDU lançou a debate a cultura no concelho e que oportunidades e riscos poderá esta candidatura significar. Foram vários os agentes culturais da cidade que se juntaram para debater o estado da cultura no Município e trocar opiniões acerca dos caminhos necessários para melhorar a oferta, a fruição e criação culturais em Braga.

Foram várias as críticas apontadas à política cultural do Município, tendo os presentes destacado a falta de orientação e estratégia para a cultura. Também a escassez de espaços e infraestruturas culturais foram referenciados, não ficando de parte, mais uma vez, a crítica à falta de visão e de vontade para adquirir o antigo cinema S. Geraldo e pô-lo ao serviço da cultura.

De entre opiniões diversas acerca de Braga poder vir a candidatar-se a Capital Europeia da Cultura, e embora algumas das várias intervenções da noite se tenham mostrado céticas, a maioria das opiniões foi unânime quanto à ideia de haver condições para Braga poder beneficiar muito com esta possibilidade.

Carlos Almeida, atual vereador da CDU na Câmara Municipal de Braga, deixou claro que “não estamos aqui para criar obstáculos a esta ideia, embora tenhamos muitas críticas a apontar ao Município quanto à sua política cultural. Por isso, organizámos este debate, estando certos de que será preciso alargá-lo para que seja possível encontrar soluções que permitam elevar Braga a um patamar que a cidade há muito reclama”.

Criar mais oferta e, em especial, mais diversidade na oferta cultural na cidade; valorizar e apoiar o associativismo, como forma de envolver, por um lado, mais gente na criação cultural e, por outro, ajudar na formação artística informal das populações no geral, e das crianças e jovens em particular; abrir canais de comunicação entre os responsáveis políticos e os agentes culturais da cidade; aumentar o número de equipamentos culturais, quer para fruição, quer para criação artística e cultural ou olhar para as várias expressões culturais como um todo, criando uma estratégia que possa inclui-las a todas numa política cultural consistente a abrangente, foram algumas das soluções apontadas.

A ideia de exigir, ao mesmo tempo, reforços orçamentais para a cultura, desde logo através do Orçamento do Estado, não ficou de fora deste encontro, pela voz de Carla Cruz, deputada do PCP na Assembleia da República. “Sabemos que muitos dos contributos aqui dados, e outras soluções que se possam encontrar para a cultura, necessitam de um investimento sério por parte do Município nesta área, mas também de uma maior dotação orçamental para a cultura em sede de Orçamento do Estado”, disse a deputada.

Carlos Almeida aproveitou, no final, para ler o que o programa da CDU apresentou como propostas para a cultura há quatro anos, destacando que muitas das soluções que foram sendo apresentadas coincidiam com o conteúdo programático da CDU e comprometendo-se, ainda, a “verter esta discussão e todas as que ainda faltam fazer, no programa que apresentaremos este ano”.

Acerca Braga TV