Casino em Braga: dinamização turística?
Quarta-feira , Novembro 14 2018 Periodicidade Diária nº 1904
Principal / Opinião / Casino em Braga: dinamização turística?

Casino em Braga: dinamização turística?

Facto: Braga é a maior cidade portuguesa que não tem um casino. Considerando devidamente as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, e sem qualquer desprimor para as cidades de Espinho e Póvoa do Varzim, o facto de ambas estarem diretamente na zona de influência do Grande Porto condiciona decisivamente a sua atividade.

Em Portugal, a evolução histórica levou as que as salas de casino se tivessem concentrado nas grandes áreas metropolitanas e nas regiões turísticas, nomeadamente no Algarve. Vidago e Figueira da Foz não constituem uma exceção a esta regra, ainda que sem o formato de “cluster” regional que o Algarve naturalmente constitui.

As vantagens de um casino

Não se trata aqui de os bracarenses precisarem de um estabelecimentos de jogos de azar para jogar. De resto, hoje em dia a internet veio revolucionar esse mercado e é fácil aceder, através de um computador ou telemóvel, a portais de jogos de casino na internet, com prémios em dinheiro real. Inclusivamente, em países onde os jogos de azar são proibidos, como o Brasil, este tipo de portais (como é o caso do NetBet) contornam a lei e tornam-se os destinatários únicos dos jogadores do país.

Do ponto de vista macroeconómico, um casino é obviamente uma âncora de apoio ao turismo de uma cidade ou região. É esse o papel que desempenha em qualquer lugar do mundo, e especialmente em Portugal. Não é por acaso que uma significativa percentagem dos jogadores de casino em Portugal são estrangeiros, numa tendência que será obviamente para manter. Caso o jogo fosse proibido em Portugal, estaríamos a perder uma quota de mercado.

Não será o que Braga está a perder também, neste momento e por esse motivo?

Uma sala de espetáculos extra

De resto, a oferta cultural da cidade sairia seguramente enriquecida, especialmente tendo em conta o público alvo deste tipo de estabelecimentos. Um exemplo muito concreto é o jantar-concerto que o cantor italiano Mário Biondi tem previsto para o casino de Espinho, no final do próximo mês de setembro. Biondi é, já desde há dez anos, uma das grandes referências da música “soul” internacional. Curiosamente, o seu último álbum publicado em 2016, intitula-se “Brasil”, constituindo uma verdadeira homenagem ao “país irmão”. O preço dos bilhetes, de acordo com a divulgação do estabelecimento pertencente ao Grupo Solverde, será de 75 euros.

Acresce que este será o único concerto de Biondi em Portugal durante a sua “tournée”, que irá abranger diversos outros países europeus, como a Alemanha, Inglaterra, Suíça, Croácia e a sua Itália natal.

A presença do Casino de Espinho trata-se, claramente, de uma mais valia cultural e económica para a cidade.

Uma opção para o futuro?

O casino pode não ser uma prioridade, mas será necessário que as forças vivas da cidade ponderem esta alternativa para o futuro a longo prazo.

Acerca Braga TV