4 anos depois…
Quinta-feira , Novembro 21 2019 Periodicidade Diária nº 2276
Principal / Notícias / 4 anos depois…

4 anos depois…

O concelho de Braga viveu nas últimas eleições autárquicas um momento de inversão, um momento que à data não podia evidenciar a transformação que estava prestes a começar e que a cidade nunca tinha experienciado. Em setembro de 2013, Braga iniciou um capítulo que ficou marcado pelo término de um ciclo de 40 anos de uma governação que foi ficando viciada, monótona e desatualizada, mas ficou marcado sobretudo pelo dinamismo, pela jovialidade e pela proatividade de uma equipa que teria 4 anos para pôr em prática tudo o que tinha prometido aos bracarenses e retificar o caminho que a anterior governação havia tomado.

Passados 4 anos, os bracarenses conseguem facilmente ver o resultado do Executivo Municipal que entrou em funções, não por terem sido feitas obras de dimensões exageradas ou por a cidade estar equipada com campos de futebol de relvado sintético em todas as freguesias (sendo que algumas freguesias chegam até a ter 2 e 3 campos de futebol), mas porque a sua qualidade de vida melhorou. Porque, ao invés de apostar em betão e tapete sintético para mostrar trabalho do Executivo Municipal, a equipa liderada por Ricardo Rio apostou na promoção do comércio local, no combate aos desequilíbrios sociais, na atração de capital externo e, ao trabalhar em todas estas vertentes, está a trabalhar pelo futuro da capital do Minho, garantindo uma cidade melhor para as gerações vindouras.

Pegando no ponta-de-lança exclusivo da oposição em Braga que é o argumento das “festas e festinhas” (um argumento que, ao fim de quatro anos, se apresenta cansado e abafado pelos resultados continuamente positivos das campanhas de promoção da cidade), facilmente se percebe que estamos perante uma oposição que não se consegue desligar do “mind-set” político e observar a cidade do ponto de vista de um bracarense. O comércio nas ruas de Braga apresenta hoje uma diversidade e qualidade nunca antes vistas, o centro da cidade deixou de ser o local “desértico” durante a noite para ganhar um movimento constante até à madrugada e praticamente todos os fins de semana há certames que atraem a população ao coração da cidade. Eventos como a “Feira do Livro de Braga” ser realizada ao ar livre em pleno centro da cidade numa clara aproximação ao público ou o “Vinho Verde Fest” que promove o consumo de produtos da região e apoia os comerciantes locais, são apenas dois dos inúmeros exemplos de “festinhas” que dinamizam Braga e apoiam o comércio de rua.

Mas Braga não é só a Avenida Central e a zona circundante, Braga é a cidade que é graças à sua população repartida pelas 37 freguesias e uniões de freguesia e são claramente os bracarenses o foco principal da atual governação da Câmara Municipal de Braga. O facto das Reuniões Descentralizadas do Executivo Municipal terem sido instituídas, promovendo um maior contacto com a população bracarense, de haver uma comunicação eficiente e contínua através das redes sociais da Câmara Municipal de Braga, permitindo alcançar de forma rápida e eficiente uma porção significativa de bracarenses, e a criação do “Provedor do Munícipe”, que fomenta a interação da população nos assuntos públicos, são exemplos de como é nos bracarenses e nas suas preocupações que a Câmara Municipal de Braga está focada. O expoente máximo deste foco é a implementação de um Orçamento Participativo, onde se destaca a sua versão jovem intitulada “Tu Decides”, programas estes que têm tido uma adesão progressivamente maior e com um crescendo de qualidade assinalável e que permitem que estas sejam formas únicas de resolver de forma eficiente lacunas que os habitantes de Braga experienciam, envolvendo-os numa dinâmica única em prol da cidade.

Na área da Ação Social, este executivo foi pioneiro na oferta dos manuais escolares a todos os estudantes do primeiro ciclo do concelho, medida esta que foi replicada pelo Governo de coligação PS/PCP/BE com moldes diferentes, mas também na criação do programa de saúde oral “Braga A Sorrir” que, em dois anos de atividade, realizou 11.500 consultas e 260 reabilitações orais e permitiu que os utentes pudessem usufruir de cuidados básicos de saúde oral de forma gratuita e que são fulcrais.

O desporto foi indubitavelmente o setor que terá a maior herança deste mandato autárquico com a atribuição a Braga do título de Cidade Europeia do Desporto 2018, um título que resulta de um trabalho que transformou Braga numa cidade praticamente voltada apenas para o futebol numa cidade onde as associações ligadas às modalidades ganharam expressão e dimensão assinalável. Braga acolheu nos últimos anos diversos certames desportivos de dimensão ibérica, europeia e mundial, contribuindo para a afirmação da marca Braga pelo mundo fora, servindo como uma alavanca para o crescimento assinalável da atividade turística da região.

Para finalizar, não pode ficar sem destaque a dinâmica económica que Braga experiencia. O papel pioneiro da cidade na criação e apoio a Start-Up’s, a criação da InvestBraga e o compromisso da Câmara Municipal de Braga em atrair investimento de empresas de capital externo são fatores que colocam Braga uma cidade em crescimento acelerado nas exportações, na redução do desemprego e na contratação de jovens para primeiro emprego. Medidas como a redução do IMI e do IRS aos habitantes de Braga são fatores que pesam na decisão da população se fixar e às quais a Câmara Municipal de Braga tem recorrido prontamente. A agregação de todos estes fatores faz de Braga um local de excelência para o setor empresarial e industrial e é uma garantia para a fixação de jovens recém-formados de Braga e/ou que frequentam o ensino superior nas instituições sediadas em Braga. No campo da atividade comercial destaca-se a eminente renovação do Mercado Municipal de Braga cujas condições atuais não são dignas da atividade que lá é exercida e que quer comerciantes, quer consumidores merecem.

Quatro anos depois, a cidade de Braga é hoje uma cidade mais equilibrada, que apoia os mais carenciados, com mais mecanismos voltados para os que precisam de apoio social e económico, com mais oportunidades para crianças, jovens, adultos e idosos, com mais cultura e mais dinamismo. Braga é hoje uma cidade com um património cultural riquíssimo, com uma forte memória do passado e uma visão dinâmica para o futuro, graças a um executivo com um espírito que permite que amanhã Braga possa ter um capital humano instruído, com infraestruturas adequadas e as oportunidades certas.

Dia 1 de outubro cabe aos bracarenses decidir se Braga pode ou não continuar a sua escalada de sucesso com Ricardo Rio, Juntos Por Braga.

Artigo de opinião de Miguel Nuno Cunha, secretário-geral adjunto da JSD de Braga.

Acerca Braga TV